Pular para o conteúdo principal

Neste dia das crianças, resgate as brincadeiras antigas

Fernanda Valente

A minha infância foi rodeada de alegrias e as crianças podiam brincar livremente nas ruas. Hoje, isso já não é mais possível por causa do grande número de carros que transitam e também pela insegurança que rodeia a todos que moram na cidade. Creio que em cidades pequenas muitas brincadeiras antigas ainda estão vivas.
Segue algumas brincadeiras inesquecíveis que valorizam a coordenação motora, estimulação, imaginação da criança e trabalhos em grupo, principalmente de socialização: Pega-pega, queimada, esconde-esconde, agacha-agacha, elefantinho colorido, estátua, amarelinha, elástico, passa-anel...
No vídeo abaixo, um pouquinho da brincadeira passa anel apresentado no Programa Quintal da Cultura. 


Outra forma divertida eram as cirandas: A canoa virou, aí, eu entrei na roda, ciranda, cirandinha, peixe-vivo, entre outras canções que ensinam e colocam a criança em movimento.

Já que não podemos ter esse coletivo na rua em que moramos, é interessante que pedagogos e professores estimulem essas brincadeiras na escola, numa aula de educação física em espaços como os pátios e quadras. 

Comentários

Querida Fernanda, parabéns por mais esta publicação. Compartilho. Beijos no coração ☆♡☆

Postagens mais visitadas deste blog

Enfeites de Natal em potes, vasos e garrafas de vidro

Pra quem ama artesanato e enfeitar a casa para o Natal, a hora é agora. Deixo abaixo algumas dicas para fazer com taças, garrafas, potes e vasos de vidro: 


















TDAH: uma forma diferente de ver o mundo

Fernanda Santiago
O TDAH é um transtorno que inclui dificuldade de atenção, hiperatividade e impulsividade. Em geral, os sintomas começam na infância e podem persistir na vida adulta. Por ser um transtorno com característica genética, não tem cura. Porém, antes de rotular qualquer TDAH são pessoas que possuem inteligência e habilidades como as outras.  Achei este vídeo abaixo muito interessante. É muito difícil impor um padrão para o TDAH. Para os educares, seria muito bom prestar atenção na maneira que eles tentam se comunicar. O menininho do vídeo mostra grande interesse pela música. Será que os pais e os educadores estão preparados para perceber as habilidades e o interesse dessas crianças? Vale a pena conferir! Além disso, também há tratamentos através de medicamentos e da psicoterapia. 

Atypical, o que você precisa saber sobre o autismo

Fernanda Santiago Valente Você quer saber um pouco mais como é a vida de um garoto com o transtorno do espectro autista que está entrando na vida adulta? Para isso vale a pena assistir a série Atypical que está na Netflix desde o começo do mês de agosto. Não tem como não se apaixonar pelo personagem Sam, que está na fase de descobertas e quer arranjar uma namorada. É nessa busca pela paixão que se desenrola a história. Vamos entender como funciona a sua personalidade e como a situação afeta aqueles que estão ao seu redor. Algo muito interessante a se observar é a relação dele com a psicóloga. Sam se apaixona por ela. Isso é muito comum acontecer com paciente e profissional de sexos opostos, geralmente os pacientes que tem algum tipo de transtorno sempre se apaixonam por seus psicólogos.


Sam, apresentando os sintomas mais nítidos do espectro autista é um adolescente que tem sentimentos como qualquer outro. A única diferença é que seus sentimentos não são interpretados de forma comum. O ro…