Pular para o conteúdo principal

Divertida Mente - um dos melhores filmes para decifrar sentimentos

Fernanda Santiago

É um desenho, mas uma excelente lição para muitos adultos. Assisti o filme com o meu filho que tem apenas 2 anos.  No entanto, ele ainda não sabe lidar com sentimentos e emoções como uma criança de 10 anos ou mais. Mas aprendi que tudo o que nos cerca influencia em nossa mente, trazendo lembranças boas ou ruins.
O filme conta a história de Riley, uma garotinha de 11 anos muito feliz. Suas emoções começam a entrar em conflito quando o pai decide mudar de cidade em favor de um emprego novo. Nisso, a mente de Riley entra em desespero. 
A líder de suas emoções sempre foi a alegria, que em todo tempo tenta esconder o sentimento de tristeza das suas lembranças. Eu como mãe, faço o meu filho sorrir o tempo todo e isso fez que eu recordasse de alguns momentos da minha infância. Passei por uma mudança dolorosa quando o meu pai morreu e essa lembrança sempre vem à tona. O que o filme ensina é o equilíbrio que precisamos dar às emoções. 
Riley estava confortável e feliz no ambiente que morava: tinha amigos, amava patinação, gostava da sua escola. Mas precisou mudar e a mudança às vezes não é fácil nem para o adulto. Qualquer motivo de mudança é dolorido, mas às vezes necessário.
Quando não aceitamos as mudanças em nossas vidas deixamos sentimentos como a raiva e medo nos dominar até chegarmos a mais profunda tristeza, que é a depressão. Quando não aceitamos perdas ou mudanças ficamos totalmente vulneráveis a sentimentos que nos impedem de sorrir, rejeitamos o tempo o que está diante de nós. A alegria é um sentimento oscilante porque possuímos outros sentimentos. O que não podemos é deixar com que um sentimento se destaque mais que o outro. Temos que equilibrar a nossa mente. As lembranças ruins ficam no passado. Não podemos culpá-las por de repente algo não sair como gostaríamos. Devemos equilibrar as nossas emoções e assim, encontrar a felicidade hoje, agora. Pois vamos sorrir, chorar e quem tem que controlar nossas emoções somos nós mesmos e não os sentimentos.
Divertida mente é o melhor filme de todos os tempos.


  • tulo Original: Inside Out
  • Ano: 2015
  • Diretor: Pete Docter, Ronnie Del Carmen
  • Elenco: Amy Poehler, Phyllis Smith, Richard Kind, Bill Hader
  • Duração: 94 min
  • Origem: USA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amor de Cristo

Coroado com espinhos Açoitado sentiu dor Suportou a tudo isso Deu-nos lição de amor
Salvou a humanidade Por ela crucificado Derramou o próprio sangue Livrou-nos do pecado
Os seguidores de Cristo Vigilantes e em oração Aguardam confiantes A sua ressurreição
Criou-se a Nova Aliança Entre Deus e a humanidade Jesus sempre será louvado

Morada do tempo

O templo é a morada do Tempo O Tempo que dá tempo ao tempo Realiza seu plano no momento Diferente do planejamento do templo.
Com o Tempo tudo podemos. Basta que com fé esperemos E na sua Força acreditemos: Assim, a Graça alcançaremos.
Quem é o Templo? 
Quem é o Tempo?
Luiz Augusto da Silva - poeta - Olímpia -SP  04/12/2010
"O templo é o corpo O tempo é o estado de espírito"
(Fernanda Valente)


Documentário inédito registra o dia a dia das crianças A’uwê, seus jogos e brincadeiras que mantêm vivas as tradições Xavante

Com direção de Cristina Flória e Wagner Pinto, a produção estreia no dia 20/4, sexta-feira, às 20h O SescTV exibe o documentário inédito A’uté A’uwê Upitab: Ser Criança A’uwê (2017), que revela as brincadeiras de meninos e meninas indígenas, passadas de geração em geração, na aldeia Pimentel Barbosa, em Matinha - MT. Com direção de Cristina Flória e Wagner Pinto, a produção, que estreia no dia 20/4, sexta-feira, às 20h, ainda destaca a escola e a preservação da cultura por esses garotos e garotas (assista também em sesctv.org.br/aovivo). Na língua a’uwê, falada pelo povo Xavante, a’uté quer dizer criança e a’uwê uptabi - forma como eles se autodenominam - significa povo verdadeiro. Hoje, eles são aproximadamente 18 mil, distribuídos por mais de 200 aldeias, em nove territórios indígenas. Uma dessas aldeias é a Pimentel Barbosa, onde vivem cerca de 300 pessoas. Dentre elas está o cacique Suptó Xavante, que comenta sobre a importância de cuidar do meio ambiente, garantindo o cultivo de al…